quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Sei de ti



Sei de ti, ausente,
de mim só as secas
folhas caídas, presente, 
nas memorias esquecidas  

Sabe o vento
todos os momentos infinitos
em forma de sentimento
que aqui foram escritos

No rio ficou
o reflexo dos abraços
de um sonho que acabou 
por falta de espaços

O que encontrarei
no espaço de um abraço,
talvez a razão porque não  farei
desse abraço um fracasso 

2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

nostálgico, mas muito terno.

e ficou a saudade, e ela só fica do que é bonito.

um beijo

Canto da Boca disse...

Uma dor que dói em cada sentimento ansiado e impedido de se cumprir...