quarta-feira, fevereiro 13, 2013

De praia em praia





Nesta viagem sem retorno
caminho num mar agitado,
pé ante pé vou sem destino
sem conhecer o outro lado

Subindo a onda que me arrasta
eu vou, até aquela praia proibida 
onde o meu sonho me resgata
dando mais cor à minha vida

Em cada praia eu escrevo
 as emoções e os medos que sinto
pequenos labirintos em relevo 
que com o coração eu pinto

4 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

o desconhecido é sempre apetecido!

muito belo!

beijo

Canto da Boca disse...

Penso que viver é isso, lançar-mo-nos em uma imensidão desconhecida...

Belo poema!


;)

Rita Freitas disse...

Obrigado pela visita.
Gostei muito deste poema, ondes as praias recolhem as emoções e os medos.

Bjs

Secreta disse...

De praia em praia...se espalham os sentires.