terça-feira, março 12, 2013

Guardo-te em mim



guardo-te em mim, sem sentido
neste sonho que me alenta
de querer ver teu eco refletido
no sol do horizonte que desponta

és na espuma que a areia beija
os dedos que eu teimo em tocar
e que na crista das ondas deseja
teus cabelos soltos acariciar

deste ponto para ti distante
vai com a maré o meu querer
de na volta trazer o instante
 em que por inteiro te possa ver

e no sonho de quem sente
não á longe nem distancia
existe o amor que é presente
num tempo sem importancia





2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

UM POEMA DE AMOR, SAUDADE E ESPERANÇA.

MUITO BELO E TERNO.

BEIJO

:)

Sandra Subtil disse...

Gostei deste espaço.
Discreto, sensível, poético