terça-feira, março 26, 2013

Escuridão



fecho as pupilas escuras, humidas
de um adeus que não pernoitou,
por entre as gotas de estranhas
saudades, um sorriso e acabou

 somente ecos de um silencio
que afago com o som calado
e provo o tempo imenso, vazio
que sabe a um olhar cansado

se me perguntarem por hoje
não o conheço,o reneguei
guardei-o na corrente que foge
para longe, onde, não sei

avancei na escuridão e espero
pela sombra que avança
sem saber como é incerto
este despertar, da lembrança



4 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

saudade e nostalgia.

mas há sempre um novo amanhecer.

uma boa Páscoa

um sorriso

:)

Secreta disse...

Há sempre um ponto de luz...algures.
Beijito.

Canto da Boca disse...

Que o despertar traga outras cores, outras nuanças (embora eu particularmente goste da penumbra), e o silêncio é sempre um lugar para outros, novos sons, se desejarmos.

Belo texto, e o despertar das lembranças causam lindos poemas!

Beijos e "muitos sorrisos"!

;))

© Piedade Araújo Sol disse...

um bom fim de semana.
:)