terça-feira, julho 22, 2008

Sonho

By Hasan Tezkol


Esta noite sonhei
que nossos sonhos se cruzaram
de longe te chamei
e teus braços aqui chegaram

Nesta historia de encantar
sem principe ou princesa
só aquele simples olhar
que nos faz ter a certeza


De querer partilhar
o sabor daquelas dunas
daquele rio, daquele mar
viver mil aventuras

Este sonho que sonhei
voltarei a sonhar?
ou sera que o inventei
e terei que acordar?



6 comentários:

Ana S. disse...

Olá Carlos.
Por vezes os melhores sonhos são aqueles que temos acordados.
Nem digo o que sonhei hoje!! lol
Beijos

cõllybry disse...

E não é que é verdade, nos sonhos se encontra o verdadeiro amor, por vezes, espera por nós lá na Eterniodade...

Belo o poema do Teu sonho

Beijito

impulsos disse...

Não foi sonho
É a certeza de um querer
Um querer maior
Que se entranhou no teu ser
E te acompanha
Em cada instante
De cada dia que passa
E te faz acreditar
Que ainda vale a pena
Sonhar acordado
Pela simples razão
Que move o coração
E que chamamos de Amor...

Beijo

pin gente disse...

retomo o sonho que deixei no ar
num rio prateado guiado a um mar de ouro
e nele procurava o meu tesouro
que mal olhasse saberia encontar

não era feito de valiosa iguaria
nem disputado em valentes aventuras
era um sonho de olhares e de ternuras
onde eu já sabia quem encontaria

um abraço
luísa

Carla disse...

mesmo quando o sonho é sonhado...apenas...fica a vontade de o realizar

ivone disse...

Sonhei contigo embora nenhum sonho
possa ter habitantes, tu a quem chamo
amor, cada ano pudesse trazer
um pouco mais de convicção a
esta palavra. É verdade o sonho
poderá ter feito com que, nesta
rarefacção de ambos, a tua presença se
impusesse - como se cada gesto
do poema te restituísse um corpo
que sinto ao dizer o teu nome,
confundindo os teus
lábios com o rebordo desta chávena
de café já frio. Então, bebo-o
de um trago o mesmo se pode fazer
ao amor, quando entre mim e ti
se instalou todo este espaço -
terra, água, nuvens, rios e
o lago obscuro do tempo
que o inverno rouba à transparência
da fontes. É isto, porém, que
faz com que a solidão não seja mais
do que um lugar comum saber
que existes, aí, e estar contigo
mesmo que só o silêncio me
responda quando, uma vez mais
te chamo.


deixo_te com o ecloga de júdice