sexta-feira, março 23, 2007

Súplica

by Linda Carlson

Agora que o silêncio é um mar sem ondas,
E que nele posso navegar sem rumo,
Não respondas
Às urgentes perguntas
Que te fiz.
Deixa-me ser feliz
Assim,
Já tão longe de ti como de mim.

Perde-se a vida a desejá-la tanto.
Só soubemos sofrer, enquanto
O nosso amor
Durou.
Mas o tempo passou,
Há calmaria...
Não perturbes a paz que me foi dada.
Ouvir de novo a tua voz seria
Matar a sede com água salgada.

Miguel Torga

4 comentários:

Sindarin disse...

Olá meu amigo! Obrigada pela visita. É verdade perdemos a vida a desejá-la cada vez mais rápida, cada vez mais ao nosso prazer. É belíssimo este poema de Torga. Um beijinho amigo. Bom Domingo.

Nylda disse...

Olá Carlos...
Excelente escolha, Miguel Torga.
Abraços significam amor para alguém
com quem realmente nos importamos.....
Um abraço é algo espantoso...
é a forma perfeita de mostrar o amor que sentimos,
mas que palavras não podem dizer.
É engraçado como um simples abraço faz-nos sentir bem...
É sempre compreendido...
E abraços não precisam de equipamentos,
pilhas ou baterias especiais...
É só abrir os braços e o coração...
Guarda este abraço! Que hoje deixo para ti.
Bom Domingo e uma excelente semana.
Beijos e um sorriso.

katrina19793@sapo.pt disse...

Um belo poema... boa semana! jinhuzzz

Secreta disse...

Belissimo poema de Miguel Torga . Excelente escolha.
Beijito.